Formação: Seminaristas refletiram sobre o tema da Sinodalidade com Frei Sinivaldo

Na última quinta-feira, 04, os seminaristas da etapa do Discipulado e da Configuração (Filosofia e Teologia), residentes na Fraternidade Sant’Ana, casa de formação da Arquidiocese de Botucatu em Marília – SP, tiveram um momento formativo sobre o tema da “Sinodalidade”. O encontro foi conduzido pelo Prof. Dr. Frei Sinivaldo Tavares, da Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia (FAJE), em Belo Horizonte – MG. O frutuoso encontro ocorreu através da plataforma Google Meet.

Frei Sinivaldo trabalhou com os seminaristas o discurso do Papa Francisco em comemoração do cinquentenário da instituição dos Sínodo dos Bispos. Essa temática é de extrema importância no âmbito eclesial e pastoral. Em sua fala o Frei resgatou as sábias palavras proféticas do Santo Padre: “Igreja e sínodos são sinônimos”. Nesse sentido, a formação buscou ressaltar a importância da sinodalidade. Esse tema evoca o “caminhar juntos”, ou seja, orientada pelo Concílio Vaticano II, a Igreja buscar manter viva a imagem do conciliar refletindo seu espírito e método.

Diante dos desafios da sociedade atual, que a cada dia são maiores e mais exigentes, tratou-se da necessidade de uma Igreja aberta ao diálogo com mundo, que escute os anseios, as alegrias, as dores e as esperança de suas comunidades, como bem apresenta a Gaudium et Spes.

Mas para que isso aconteça a Igreja deve estar calcada em um Aggiornamento, ou seja, uma constante “atualização”, estando sempre disponível à escuta e ao discernimento dos sinais dos tempos. Dessa forma, o Frei ressaltou que somos convidados a uma sinergia, que consiste num esforço para darmos conta da complexidade dos desafios da atualidade.

Neste caminho sinodal, é resgatada a importância dos leigos e o seu protagonismo dentro da Igreja. Nesse sentido, o caminho sinodal proposto por Francisco. ‘é uma caminhada que inclua Bispos, Presbíteros, religiosos (as), seminaristas e todo o povo de Deus’ ressaltou o Professor.

A sinodalidade sonhado por Francisco abrange três importantes níveis: que ocorra os sínodos nas Igrejas Particulares, entre os clérigos e os Conselhos, levando em conta o Povo de Deus presente naquela realidade, Nas conferências Episcopais e por fim no Colégio dos Bispos, o qual é presidido na caridade, pelo Santo Padre.

Por fim, trabalhou-se uma sinodalidade que seja sacramento, onde o sínodo não é simplesmente uma reunião para resolver problemas, mas que envolve uma mística configurada no dom da escuta e do discernimento. Desse modo, todos os batizados gozam de igual dignidade, e, portanto, têm o direito de participar ativamente da vida eclesial e de contribuírem com a evangelização, pelo testemunho de vida e pela pregação do Evangelho.

Texto: Thiago Rodrigues Ferreira.

Fonte: PasCom Arquidiocese de Botucatu.

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.